Pular para o conteúdo

‘O Palhaço e a Bailarina’ – Um espetáculo infantil clássico

23/07/2009

foto de Calixto

texto de Maria Beatriz de Medeiros
Leitor Crítico

Em cena os elementos são clássicos: malas, alfaia, escaleta. Simples. Os quinze minutos standard de atraso do teatro são respeitados e o espetáculo começa. Pela primeira vez no FIT 2009 vi um espetáculo que não começa sobre o palco. Os atores e um músico chegam por trás da plateia. O que é um caráter dinâmico pode ser potencializado. Conforme o texto ensina, o circo começa nas ruas e só mais tarde, no século XVIII se instala sob uma lona. A rua é um local onde é possível penetrar na cotidianidade do transeunte distraído, do público potencial. Começar no hall ou na rua permite integração e relaxamento para a participação. E esta participação, sinaliza o texto, é vontade da Trupe Gato e Sapato.

“O palhaço e a Bailarina” é um espetáculo de palhaço clássico. E a plateia ri. O objetivo é atingido (Basta?). Algumas falas do texto são inteligentes, outras didáticas, as piadas se alternam entre a originalidade e o lugar comum. O palhaço (Tiago Marques) dá um show: não perde o rebolado, incorpora as falas das crianças, cai, levanta, se diverte sem perder o tom. Sua naturalidade em cena é espetacular. A bailarina desliza, ri das piadas do palhaço, de seus improvisos integrando o público. Este riso, natural, pode compor as cenas. A música pode tornar o espetáculo alegre e dinâmico.

Incorporar a participação do público é uma arte. Saber lidar com o improviso, e as crianças são mestres nesta arte, é uma sapiência, uma prática. Existe uma técnica para se lidar com o improviso? Creio que esta técnica é o hábito, a própria prática, o beco sem saída e a criação espontânea, a encruzilhada e a decorrente criatividade. No improviso por vezes encontramos o melhor, perdemos o melhor, tornamos a encontrá-lo. Certamente isto é um risco que vale a pena ser experimentado para adquirir o remelexo necessário para saber dançar ao som do imprevisto.

Renato Cohen (2002), no seu livro Performance como linguagem, caracteriza a performance como uma “criação de um tempo-espaço de experimentação”, ou seja, a criação de um momento atual preenchido com a vivência de uma experiência verdadeira, realmente transformadora, posto que acontece aqui e agora dentro do performer, sendo um acontecimento ao vivo, inédito. O público, evidentemente, capta essa verdade e, de certa forma, co-experimenta. As crianças são este público: eles vivem e se deixam viver neste aqui e agora, sem contenções se exprimem, sem ter ainda inteiramente absorvido todas as regras de comportamento inibidoras não têm medo do ridículo, como nós adultos. Eles querem brincar. Brincadeiras não precisam ter regras fixas, elas podem ser trocadas, experimentadas. O escorregão faz parte, perder o jogo permite recomeçar, ganhar é uma arte: a arte de brincar.

Em espetáculos infantis as relações são realmente mágicas, como queria Sartre. Elas são mágicas justamente por serem ao vivo, por serem cruas, entrega, improviso, fluxo. Toda espera, aqui, pode ser ponto de partida, local de passagem ou chegada. Esta imprevisibilidade exige jogo de cintura só possível na naturalidade também por parte do ator. Tiago domina perfeitamente este saber por estar à vontade no palco. Ele mesmo afirma: “A vida é feita de improviso”.

O palhaço quer construir um espetáculo para eles que foram expulsos do circo e faz diversas propostas. Estas são experimentadas. Mas a bailarina, como uma criança, se cansa e não quer mais brincar: “Não quero mais. Não quero, não faço e pronto!”, repete. E esse mote vai trazendo diferentes brincadeiras para a cena.

O momento onde o palhaço apresenta seu pequeno boneco para contar a história de Joãozinho, um pobre menino abandonado, é emocionante. Tiago é palhaço e, como todo bom palhaço, é ótimo ator e excelente performer.

Infelizmente, temos que concluir depois de seis dias de FIT, que parece haver um problema de projeção de voz, de preparação de voz, de articulação de palavras em nossos atores. Trata-se de um problema do teatro brasileiro? O teatro, como toda arte, deve criar um mundo e isto não é fácil. Sendo a voz e o texto um elemento essencial do teatro, este aspecto faz titubear nosso teatro.

Gato e Sapato é um grupo jovem, não possui um site, tem grandes aspirações e se multiplica para sobreviver do teatro: realiza espetáculos teatrais, performances personalizadas, personagens para eventos, telegramas animados, estátua viva, dança do ventre, entre outras atividades, conforme cartão da Trupe.

Queria salientar a força e a coragem destes jovens que trazem este espetáculo infantil clássico e necessário em qualquer lugar do mundo. As crianças precisam destes espetáculos. Precisam de espetáculos clássicos embora também mereçam montagens ousadas, elementos novos, cenários ousados, textos em construção, também precisam textos que tragam problemas da cotidianidade, críticas e questionamentos.

O FIT é uma lição de teatro para a população local, para os artistas locais, regionais, para aqueles atores, diretores, cenógrafos que vêm de fora com seus espetáculos, para nós, os críticos. O grande número e a diversidade de espetáculos representam possibilidade de pesquisa. “Neva” dá uma aula de dramaturgia e interpretação, a dicção é perfeita; “Crônica de Jose Agarrotado” ensina sobre corpo em cena, sobre sonoplastia. O texto, que aparentemente nada diz, tudo fala. “Batata!” nos enriquece sobre experimentações. Poder assistir a tudo isto é uma oportunidade para todos: uma aula magna.

About these ads
2 Comentários leave one →
  1. 25/04/2011 15:53

    Muito Bonito O seu Trabanho Como
    Atores e Atriz
    Lindo bjosss

  2. 25/04/2011 16:04

    Olà eu queria sabe si è facil fazer
    teatro
    bjossss

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: